sábado, 23 de março de 2013

Minhas terapias...

1º Primeia vez que fiz terapia tinha 14 anos. Fui sozinha no consultório e acertei tudo, só pedia dinheiro para minha mãe e o pagava. Eles nunca foram atrás saber nada. Fiz apenas 6 meses.
O terapeuta pegou um caderno de valor sentimental e não devolveu mais depois perdi contato.

2º Voltei a fazer terapia com 22 anos até os 27 anos. Parei. Total de 5 anos.
Gostava dela mas achei estranho ele ficar me pressionando a não ter o meu filho e me apresentar todos os contras. Penso que terapeuta não pode interferir na vida do paciente.


3º Voltei com a terapia com 29 anos, numa UBS que um colega trabalhava pois sabia o que estava sofrendo com meu marido com inúmeras agressões físicas, morais e psicológicas. Fiz 2 anos.
Parei porque ela não aceitava eu falar da minha mãe na terapia, não podia me maquear que implicava além de começar a trabalhar na parte da manhã.



4º Voltei a fazer por que a escola do meu filho solicitou pois achavam que ele sofria de falta de atenção e depois acharam que era excesso de atenção.
Fiz 2 anos, 2 vezes por semana e ela me parecia ser ótima profissional mas não continuei porque fiquei desempregada e não tinha como pagar mais.


5º Após um namoro conturbado 3 anos e meio, fui fazer terapia para não aceitar mais esse tipo de relacionamento e quando ele quisesse reatar, eu dissesse: -não.
De um lado foi bom pois a terapeuta era cristã e entendia minha linguagem ao invés de achar tudo loucura além de que consegui falar não para este namorado.
O problema foi que ela interferiu na minha vida dizendo que eu não gostava mais desse homem e que deveria casar com um outro que dizia gostar de mim. Insistiu muito nisso e acabei casando e descobrindo que o rapaz não era bonzinho como aparentava.
Endaguei a atitude dela de me induzir a casar com quem não sentia nada e ainda fui enganada mas ela desconversou e não quis mais seguir com a terapia.


6º Eu fui muito pressionada a ficar com um rapaz. Além de eu não gostar dele ainda tinha ciúmes de amigas, meu filho, tudo e era super grosseiro. Estava cheia disso tudo pois casei pensando estar fazendo certo perante a igreja, minha mãe, a terapeuta, etc e acabei fazendo errado de novo.
No fim, o meu filho queria ir embora com o pai dele. A mãe desse cara me falou coisas absurdas no telefone de um incesto entre eu e meu filho de 13 anos. Implodi e tentei contra minha vida, fui no pronto socorro mas não fizeram nada. Então fui procurar ajuda na saúde pública e encontrei o Caps. Fiz terapia com eles um ano e pouco. Foi muito produtivo embora as terapias fossem mais em grupo. Mas como eles só pegam casos graves, me deram alta e um ano e pouco.


Gostaria de continuar fazer terapia mas com um profissional que realmente me ajude porque já é demorado, tanto o tratamento como os resultados e ainda nada mudar....

Eu aconselho todos a fazerem terapia.

O meu caso em específico foi mais demorado e específico porque precisei construir toda estrutura, alicerce que não foi construído ao longo da minha história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VOU FICAR MUITO CONTENTE SE VOCÊ DER UM POUCO DO SEU TEMPO PARA ME DEIXAR UM RECADINHO,OBRIGADA. DEUS O ABENÇOE.